Últimas semanas da mostra “Como Fantasmas Podem Criar Sistemas?”

Reunindo projetos de cunho arqueológico, artístico e educativo que ocorreram na Bahia desde a década de 1960 até hoje, a exposição “Como Fantasmas Podem Criar Sistemas?” fica aberta até o próximo dia 30 de setembro, de segunda a sábado, das 9 às 18 horas. Montada desde julho, a mostra, com curadoria de Felix Toro, ocupa o Jardim da Galeria do Goethe-Institut Salvador-Bahia, inaugurando uma ação expositiva que explora a ambiência de um jardim cultivado pela própria equipe de funcionários do local. A entrada é franca.

Numa televisão, o visitante pode assistir a uma entrevista com Maria Moniz, tratando do Museu do Atlântico Sul. No início da década de 1960, o Forte São Marcelo, em Salvador, foi reformado para receber o referido museu. Maria teve papel direto na origem e desenvolvimento desse projeto, interrompido em meados da mesma década, e trabalhou com seu idealizador, Agostinho da Silva.

Outra iniciativa representada é a 3ª Bienal da Bahia, que ocorreu em 2014 após um hiato de 46 anos desde a 2ª edição das bienais do estado. Um baralho sobre uma mesa entre os canteiros do jardim pode ser manuseado e, de preferência, jogado. Trata-se de um jogo educativo criado, mas que não chegou a entrar em circulação, para a Bienal.

Walter Smetak também deixa rastros na exposição. Além dos seus instrumentos musicais e plásticas sonoras, o músico e pensador suíço-brasileiro também fez um projeto de universidade. “O Ovo”, escultura-estúdio totalmente orientada – como o restante da obra de Smetak – pela ciência da Eubiose, seria parte fundamental desse projeto. A produtora cultural Alana Silveira selecionou alguns elementos que a ajudam a reconstruir o pensamento do projeto, dispostos ao longo da parede da galeria.
Peças do Acervo da Laje completam a mostra. Desde 2010, José Eduardo Ferreira Santos, o Dinho, reúne na laje de sua casa obras, documentos e objetos que encontra no decorrer de sua pesquisa sobre a produção estética do Subúrbio Ferroviário de Salvador, onde cresceu e vive. Objetos emprestados de seu acervo experimentam formas expositivas a partir de alguns de seus campos de atuação: arquivo, coleção, resgate e arqueologia.

“Como Fantasmas Podem Criar Sistemas?” é a primeira de uma série de intervenções que fará do Jardim da Galeria um estopim de ações artísticas e espaço de potencialização do convívio dentro das instalações do Goethe, especialmente entre os seus artistas residentes e a comunidade artística da cidade. A ideia é estabelecer uma programação regular, onde público e criadores saibam que irão encontrar boas novas e experimentar bons momentos.

 

“Como Fantasmas Podem Criar um Sistema?”
Curadoria: Felix Toro
Quando: Até 30 de setembro, de segunda a sábado, das 9h às 18h
Onde: Jardim da Galeria do Goethe-Institut Salvador-Bahia
Av. Sete de Setembro, 1809, Corredor da Vitória
Gratuito

©2017 SSAUP Salvador Update - Desenvolvido por AZUL DESIGN(ERS)

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?