Michael Grandage, ícone na direção de teatro, estreia no cinema com O Mestre dos Gênios

Baseado na biografia “Max Perkins: Um Editor de Gênios” de A. Scott Berg, o Mestre dos Gênios (Genius, EUA/Reino Unido, 2016), drama sobre a relação entre Maxwell Perkins (um dos mais respeitados editores literários de todos os tempos) e Thomas Wolfe (gigante literário), conta com a direção de Michael Grandage, ícone do teatro. Em sua estreia atrás das câmeras, após colecionar prêmios e sucessos como diretor artístico do teatro Donmar Warehouse (Londres), Grandage é um dos mais respeitados e premiados diretores de teatro na atualidade, da Inglaterra a Broadway.

Com roteiro de John Logan (indicado ao Oscar® por Gladiador, O Aviador e A Invenção de Hugo Cabret), o Mestre dos Gênios é o resultado da jornada de 20 anos do roteirista para levar para as telas a história de Max Perkins. Segundo Logan, o projeto realmente deslanchou quando encontrou Grandage, que é um nome familiar a todos os apaixonados por teatro. O interesse, por parte do diretor até então de teatro, foi instantâneo. “Eu estava lendo o roteiro sobre algo que eu já estava fazendo por 20 anos e nunca tinha sido capaz de entender. Não conseguia parar de ler”, conta Grandage que leu todo o roteiro durante uma viagem de avião.

Para Logan, a parte mais recompensadora de todo esse processo foi ver o diretor de teatro aceitar o desafio de começar uma nova fase de sua carreira: a direção de cinema. “Michael o fez com grande humildade. Ele não disse: Eu vou fazer Cidadão Kane, mas sim: Mostre-me em que lugar da câmera eu devo me posicionar”, conta o roteirista.

Grandage proporcionou a todos os atores um período de duas semanas de ensaio, o que costuma ser muito incomum na produção de um filme. Já para o diretor, a experiência mais marcante foi a reconstituição de época. “No teatro, você pode encenar as épocas de maneira abstrata.  Você pode fazer uma sugestão de alguma coisa datada, completamente abstrata, e a plateia sabe que o tempo é passado, porque a época lhe é apresentada sob um prisma reconhecível. Você tem que ser muito mais naturalista no cinema”, afirma Grandage.

O diretor, que agora também será de cinema, acrescenta ainda que a adaptação somente ocorreu a partir da imensurável colaboração da equipe para introduzi-lo no mundo da realização cinematográfica. A produção também é comandada por Logan e Grandage com James Bierman.

No drama, com estreia prevista para 22 de setembro no Brasil, Colin Firth (O Discurso do Rei) interpreta o editor Max Perkins, ao lado de Jude Law (O Grande Hotel Budapeste) como Thomas Wolfe. No grande elenco estão ainda Nicole Kidman (As Aventuras de Paddington, Olhos da Justiça) como Aline Bernstein, a designer que teve uma relação tumultuada com Wolfe; Laura Linney (Um Final de Semana em Hyde Park) como Louise Perkins, a talentosa dramaturga e esposa de Max; Guy Pearce (Homem de Ferro 3), como F. Scott Fitzgerald; e Dominic West (O Despertar, Orgulho e Esperança) como Ernest Hemingway.

©2017 SSAUP Salvador Update - Desenvolvido por AZUL DESIGN(ERS)

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?